NOTÍCIAS
03/11/2017
Produção de soja da China deve crescer em 2018

Por outro lado, apetite de importações segue voraz

Uma estimativa atualizada do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), através do adido agrícola de Pequim, na China, coloca a produção chinesa de soja na temporada 2017/2018 em 14,4 milhões de toneladas. O número cresceu na comparação com o período anterior, quando o estimado é um volume de 12,09 milhões de toneladas produzidas.

Segundo o USDA, em função de menos subsídios do governo chinês para o milho, aumento de área de soja e clima favorável, a produção doméstica da oleaginosa na China aumentaria em 10,8%. Apesar disso, a previsão de importações de oleaginosas aumentaria mais uma vez em 1,3 milhão de toneladas. Na safra que vem, o gigante asiático importaria 99,8 milhões de toneladas. Especificamente de soja, as importações seriam de 95 milhões de toneladas, acima dos 93,5 milhões de toneladas do período anterior.

A China tem um crescimento econômico projeto em mais de 6,7% em 2017 e há uma rápida modernização da pecuária local e o consumo de oleaginosas continua sendo incentivado, com produção de suínos em grande escala. Por outro lado, algumas instalações fecharam recentemente em função de preocupações com o meio ambiente, segundo informações do órgão norte-americano.

O maior consumo de farelo de soja também é puxado pela produção local menor de farinha de colza e uma significativa redução da oferta de grãos secos destilados devido a restrições à importação dos Estados Unidos.

Para o USDA, a produção e a produtividade total de oleaginosas da China muito provavelmente não aumente nos próximos anos em função das limitações de terras agricultáveis no país e a agricultura precária que ainda prevalece. A agência destacou, por outro lado, que dados são muito limitados no país asiático e há um número enorme de atores na cadeia produtiva.

Fonte: Agrolink

GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS