NOTÍCIAS
23/10/2019
Queda do dólar não afeta preço da soja

"A cotação da soja em Chicago, novamente, teve leve queda"

Os preços da soja brasileira se mantiveram estáveis nesse início de semana, mesmo com a queda da moeda norte-americana, segundo informou o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica. De acordo com ele, a cotação em Chicago também registrou baixa. 

“A cotação da soja em Chicago, novamente, teve leve queda, de 0,08% e, o dólar, desvalorização de 1,33%, fechando em R$ 4,0757, fazendo com que os preços que os compradores ofereceram sobre rodas nos portos do sul do Brasil ou seus equivalentes em outros estados, tivessem queda de 0,48% para a média de R$ 89,39/saca, contra R$ 89,82, do dia útil anterior”, comentou ele. 

Com isto, ele disse, o acumulado do mês atingiu 3,03% contra positivos 3,53% do dia anterior. “No interior ficou estável, apesar da queda no porto, no mercado externo e do dólar, com leve alta de 0,04%, para R$ 84,36/saca, contra R$ 84,33 do dia anterior, com o acumulado atingindo 4,32%, contra 4,28% anterior”, completou. 

“Os preços do mercado físico do Rio Grande do Sul se mantiveram estáveis nesta terça-feira com compradores e vendedores avaliando a direção dos mercados externos e da cotação do dólar. No Paraná, o mercado físico se mostrou cauteloso nesta terça-feira e os preços se mantiveram estáveis, sem grandes oscilações, em todas as regiões”, indicou. 

No mercado internacional, existem rumores de que a China comprou novamente soja dos Estados Unidos, mas, mesmo assim, não abandonou o produto brasileiro. “Como se vê, a China repartiu igualmente as compras entre o Brasil e os EUA, em plena janela de exportação americana e em plena vigência de um acordo entre americanos e chineses”, concluiu. 

Fonte: Agrolink

GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS
07/01/2020