NOTÍCIAS
28/08/2019
RS: setembro ainda deve registrar geada
Variação prejudica lavouras

Época crucial nas culturas agrícolas, o fim do inverno marca um período de muita atenção e cuidado por parte dos agricultores. O alerta fica por conta de massas de ar frio que deverão chegar de forma tardia ao Estado. Conforme a meteorologista da MetSul, Estael Sias, as próximas semanas tendem a ser com temperaturas amenas, com a já característica variabilidade climática que a estação aponta. “Mesmo com o clima ameno e o aumento na duração dos dias, devemos ter três períodos de temperatura bem baixa com risco de geada: um no início de setembro, nos dias 2 e 3; outro pelo dia 16 e outro por volta do dia 22”, comentou a meteorologista.

Conforme o gerente técnico da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), Paulo Vicente Ogliari, é necessário que os agricultores se mantenham atentos, principalmente os que já transplantaram as mudas de tabaco. “Nesse caso é muito difícil recuperar as plantas diante de um cenário de geada. Já aqueles que ainda não transplantaram e estão com as mudas nas bandejas, é importante protegê-las com lonas para não deixar estragar.”

Na estimativa de produtividade para o tabaco, de acordo com Ogliari, quanto mais calor, melhor. Já o clima atual, com frio à noite e aumento da temperatura durante o dia, não causa maiores problemas para as lavouras, mas acaba por não favorecer seu desenvolvimento. “A planta dá uma estagnada e não desenvolve tanto quanto poderia”, explica. E lembra os estragos da última geada na região. “O grande problema é a geada. Essa última de julho ocasionou algumas perdas para a safra do tabaco, por isso alertamos os agricultores para futuros períodos de frio intenso.”

Em se tratando de hortigranjeiros como legumes e hortaliças, a produção pode sofrer baixas com a variabilidade do clima. “Todas as variações climáticas em demasia são prejudiciais. O frio acima da média, com geadas, poderá ocasionar problemas de desenvolvimento em culturas mais sensíveis como a moranga, o pepino e o moranguinho, dentre outras”, ressalta o técnico agrícola da Emater/RS-Ascar, Paulo Zampieri. Para esse tipo de variedade, de acordo com Zampieri, é necessário uma temperatura variando de 18 a 30 graus, com razoável umidade vinda de chuvas esporádicas.

Fonte: Gazeta do Sul - Agrolink

GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS
20/03/2017