NOTÍCIAS
15/07/2019
Soja brasileira segue sem demanda chinesa

A China continuou de fora do mercado, sem nenhum negócio reportado para este destino

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a sexta-feira (12.07) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas para exportação avançando 0,39%, para R$ 79,41/saca. Com isto as perdas mensais foram reduzidas para 2,392%.

Já no interior, o preço da soja subiu mais, cerca de 0,57%, para R$74,19/saca, reduzindo as perdas do mês de julho para 1,99%. “A alta de 1,17% da cotação da soja em Chicago suplantou a queda de 0,33% do dólar no Brasil, permitindo ao preço sobre rodas nos portos. O mercado de Paper em Paranaguá continuou não tendo negócios, pelo segundo dia consecutivo”, aponta a T&F Consultoria Agroeconômica.

“A China aparentemente continuou de fora do mercado, porque não vimos nenhum negócio reportado para este destino, nem FOB, nem CIF. Por isto, os prêmios, tanto no Brasil quanto na Argentina, enfraqueceram entre 2/3 cents/bushel, também para contrabalancear a alta de Chicago. As vendas de origem nos dois países ficaram levemente acima de 500 mil toneladas, somadas”, explica o analista Luiz Pacheco.

Na “ronda dos estados”, a queda do dólar e menor demanda da China fizeram os preços recuar entre 4% e 5% na semana. No RS os preços caíram forte em relação à semana anterior. Nota-se menor disponibilidade no mercado spot. Os negócios estão sendo feitos mais para 2020.

“No PR o mercado continua com dificuldade de ofertas, deve ter movimentado em torno de 20/30.000 toneladas esta semana, só que o maior volume negociado foi para as indústrias esmagadoras de Ponta Grossa. Poucas ofertas no mercado devido apreensão dos vendedores diante das oscilações do mercado e em parte devido a estoques menores (normal para o período)”, conclui Pacheco.

Fomte: Agrolink

GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS
17/01/2017