NOTÍCIAS
02/07/2019
Acordo do Mercosul abre mercado para o tabaco
Selado na última sexta-feira em Bruxelas, na Bélgica, o histórico acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia deve abrir novas portas para o tabaco brasileiro no mercado internacional. Pelo pacto, as tarifas de exportação do principal produto do Vale do Rio Pardo para o bloco serão eliminadas em um prazo de quatro anos.

A informação foi confirmada pelo secretário nacional de Agricultura Familiar, Fernando Schwanke. Com o acordo, as exportações brasileiras de tabaco para a UE passarão a gozar de preferências crescentes – ou seja, as taxas serão reduzidas gradualmente até serem zeradas. “Se a tarifa for de 20%, será reduzido 5% ao ano”, explica Schwanke. A regra valerá tanto para o tabaco em folhas quanto para produtos derivados, como cigarros.

A UE já é o principal destino dos embarques de tabaco do Brasil. Apenas em 2018, foram mais de 180 mil toneladas para o bloco, o que representa 41% de todo o volume exportado e uma receita de US$ 811 milhões, conforme dados do Sinditabaco e do Ministério da Economia. Na lista dos dez maiores compradores de tabaco brasileiro, aparecem a Bélgica em primeiro lugar e a Alemanha em sexto. Outros mercados importantes no bloco são Romênia, Holanda, Polônia e França.

Conforme Schwanke, a inclusão do tabaco no acordo é uma grande notícia, já que garante mais competitivdade ao produto brasileiro no exterior. “Isso abre ainda mais as portas em um dos mercados mais exigentes e que melhor pagam, que é a União Europeia”, avaliou.

Pelo acordo, 92% de tudo o que o Mercosul exportar para a UE terá tarifa zero em um prazo de dez anos. Para entrarem em vigor, no entanto, os termos ainda precisam ser aprovados pelos deputados e senadores de todos os países do bloco sul-americano, bem como pelo Parlamento Europeu. Isso pode levar de dois a três anos.

Os dez principais compradores

País                           Valor                Volume (toneladas)

Bélgica             US$ 445,6 milhões                92,5 mil

EUA                 US$ 190 milhões                    45,2 mil

China               US$ 165 milhões                    26 mil

Indonésia         US$ 124,9 milhões                 23,2 mil

Egito                US$ 111,6 milhões                  29,6 mil

Alemanha        US$ 80 milhões                      16,9 mil

Rússia             US$ 79,2 milhões                    22,1 mil

Paraguai          US$ 75,5 milhões                   19,7 mil

Coreia do Sul        US$ 54,5 milhões              14,2 mil

Vietnã              US$ 51,9 milhões                   11,1 mil

Fonte: Agrolink
GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS
17/01/2017