NOTÍCIAS
21/06/2019
Melhoramento salvou milhões da fome, diz Nobel
O engenheiro agrônomo Norman Borlaug afirmou que o homem salvou milhões de pessoas da fome com o melhoramento genético. Ele afirmou que conseguiu melhorar geneticamente as sementes de trigo, milho e outras culturas importantes, tornando-as mais resistentes e produtivas, antes que a engenharia genética se tornasse disponível. 

Seu trabalho, que afetou milhões de pessoas em vários países em desenvolvimento, rendeu-lhe o Prêmio Nobel da Paz em 1970 e outros prêmios do governo. "Eu muitas vezes parecia que ele tinha cometido um erro terrível em aceitar a posição no México" ele confessou no epílogo de seu livro,  Norman Borlaug na fome do mundo. 

Ele não conseguiu sequenciar o DNA do trigo para descobrir quais genes causaram quais traços, porque, para que a tecnologia emergisse, ainda estava a décadas de distância. “Mas eu podia cruzar variedades que tinham alguns traços positivos e esperar que uma das espécies cruzadas tivesse todas as boas características e nenhuma das ruins. Foi um trabalho meticuloso, mas finalmente valeu a pena”, completa. 

Borlaug produzia novos tipos de trigo "anão" que resistiam à ferrugem, davam boas colheitas e, crucialmente, tinham caules curtos, de modo que não caía com o vento. Graças a novos testes, ele descobriu como maximizar seu desempenho, até que ponto tinha que ser plantado, quão profundo, quanto fertilizante e quanta água ele precisava. 

Ele afirmou que, se as tendências populacionais seguirem como acreditam os especialistas, faltará alimento para mais pessoas no futuro, o que demonstra a importância da modificação genética. 

Fonte: Agrolink

GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS