NOTÍCIAS
30/05/2019
Briga de mercados interno e externo elevam preço do milho
“Não é apenas o mercado externo que está de olho no milho brasileiro; as indústrias do mercado interno também, porque precisam cobrir cerca de 45 dias até chegar o grosso da disponibilidade da segunda safra (Safrinha). A disputa destes dois mercados fez os preços subirem cerca de 4 reais/saca nas últimas duas semanas”. A avaliação é do analista Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica.

No RS percebe-se claramente que os compradores do mercado interno estão mais ativos. “‘Nem falei com ninguém da exportação’ nos disse um corretor que negociou bons lotes nesta semana, mas que sentiu a retração dos vendedores quando o mercado começou a subir. Neste momento há mais compradores que vendedores, nos disse. Os negócios foram só no mercado spot; no mercado futuro, com a queda dos prêmios, não houve negócios. Durante a semana, no melhor momento o preço no porto atingiu R$ 42,00/saca”, comenta Pacheco.

Em SC o mercado de milho esteve muito nervoso durante toda a semana. “‘Todas as ofertas que havia no mercado foram negociadas’, nos disse um corretor local. Os preços chegaram a R$ 37,50/saca no diferido. Nâo houve ofertas de milho tributado (de outros estados). Os compradores estão curtos de estoque e as chuvas estão atrapalhando a colheita. Então, para garantir o estoque, é melhor pagar o preço e foi o que os compradores fizeram nesta semana”, acrescenta.

No PR houve pouca oferta de milho. O mercado continuou muito travado junto às indústrias compradoras, que ofereciam preços entre R$ 34,00-35,00nos Campos Gerais para milho disponível, e R$ 33,0 CIF fábrica para junho. A principio a conversa é que estavam compradas até a safrinha e compradas de milho da safrinha.

“Mercado interno aprendeu a comprar milho da safrinha antecipado. Com isto a atividade maior foi para exportação, com preços entre R$ 38,00-38,50 sobre rodas no porto. O vendedor, com soja melhorando de preços, deu uuma segurada no milho, e milho safrinha só entra em agosto/ final de julho. Enão foi preciso ‘sensibilizar’ o vendedor para vender”, explicou o analista da T&F.

No MS a segunda-feira foi de mercado bem morno, mas terça e quarta, animado. Milho spot teve preços de até R$ 31 foi pago e deve ter saido umas 20.000 toneladas. Milho futuro saiu a R$ 28,50 e 29,00 julho /ago para exportação, umas 50.000 toneladas, mercado firme.Milho 2020 não houve nada. Houve tambem mercado de Paranaguá com comprador pagando R$ 40,00 junho, comprando umas 100.000 toneladas do MT e PR, porque do MS foi muito pouco.

Fonte: Agrolink
GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS