NOTÍCIAS
18/02/2019
Diminuição de alguns insetos provoca aumento de outros
Um estudo global publicado na revista Biological Conservation diz que as abelhas, formigas e besouros estão desaparecendo a uma taxa oito vezes maior do que os mamíferos, aves ou répteis, e que um terço de todas as espécies de insetos já estão classificadas como ameaçadas de extinção. Em contrapartida, outros insetos como baratas e moscas estão aumentando, segundo o correspondente ambiental da BBC Mundo, Matt McGrath.

“Alguns dos destaques do estudo incluem o recente e rápido declínio de insetos voadores na Alemanha e a queda maciça de insetos em florestas tropicais em Porto Rico, ligada ao aumento das temperaturas globais. Precisamente a mudança climática é uma das causas do declínio geral de insetos, juntamente com a agricultura intensiva e os pesticidas quando são mal utilizados”, escreveu.

Sendo assim, o principal autor do artigo científico, Francisco Sánchez-Bayo, da Universidade de Sydney, afirmou que “o principal fator é a perda de habitats, devido às más práticas agrícolas, urbanização e desmatamento. Segundo, o uso crescente de fertilizantes e pesticidas na agricultura em todo o mundo e contaminação com produtos químicos de todos os tipos. Terceiro, temos fatores biológicos, como espécies invasoras e patogênicas; e, em quarto lugar, a mudança climática, especialmente em áreas tropicais, onde é conhecido por ter um grande impacto”.

"Se você olhar para o que aconteceu em grandes extinções no passado, geraram ondas maciças de adaptação em que as poucas espécies que eram capazes de se adaptar e ocupar todos os nichos disponíveis e evoluíram em novas espécies. Espere um milhão de anos e não tenho dúvidas de que haverá toda uma diversidade de novas criaturas que surgirão para substituir as que foram eliminadas nos séculos XX e XXI", conclui.  

Fonte: Agrolink
GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS
09/11/2015