NOTÍCIAS
25/09/2018
Preço da soja sobe nos portos e cai no interior
Os movimentos dos prêmios pagos à soja brasileira nos terminais portuários fizeram a diferença nesta segunda-feira (24.09), aponta a T&F Consultoria Agroeconômica. Com isto, o Indicador Cepea para os portos avançou 0,53%, para R$ 96,23/saca, e recuou 0,12% no interior, para R$ 89,44.

“Com os outros dois fatores em conflito – o dólar subiu 1,0%, mas Chicago caiu 0,74% – o fato que determinou a tendência dos preços nesta segunda-feira foi a elevação de 8 cents/bushel dos prêmios da soja em Paranaguá, que passaram de $ 240 para 248/bushel, a sua manutenção em Rio Grande em $ 250cents/bushel e queda de $ 3cents/bushel em Santos, para $247/bushel”, apontou o analista da T&F Luiz Fernando Pacheco.

Já os prêmios do farelo, informa ele, se mantiveram inalterados em Rio Grande e caíram $8/ton curta em Paranaguá e os prêmios do óleo também se mantiveram inalterados em Rio Grande e subiram $20/libra-peso em Paranaguá.

TENDÊNCIAS

O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), Bartolomeu Braz Pereira, informa que o plantio de soja 2018/19 está sendo favorecido pelo clima. As incertezas, segundo ele, são em função da crise do frete e da instabilidade cambial. Ele mencionou ainda que os agricultores não estão conseguindo vender soja futura porque “muitas tradings estão evitando a operação ou indicando valores mais baixos”.

O analista da T&F, Luiz Fernando Pacheco, garante que estas operações de fixação de preço da soja em Chicago e do dólar na B3 poderiam ser feitas pelos próprios agricultores ou suas cooperativas ou cerealistas. “Mas, por várias razões impublicáveis, são transferidas para as Tradings, ficando, assim, todo o setor 100% na mão delas. Com isto, perdem todos. É uma expertise pouco presente nas empresas brasileiras, mas que está disponível a todos, não só das Tradings. Basta aprender a usar e efetivamente usar”, conclui.

Fonte: Agrolink
GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS