NOTÍCIAS
03/09/2018
Chegada da época de chuva requer atenção com epidemias
O Brasil se aproxima da época normal de chuva, faltando menos de um mês para a primavera. A nova estação começa no dia 22 de setembro. É durante a primavera que as pancadas de chuva mais volumosas de fim de tarde começam a retornar, em especial nas Regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul. Os temporais tão importantes para encher os reservatórios que abastecem o país são esperados normalmente no período entre outubro, novembro, dezembro, janeiro, fevereiro e março, durante a primavera e o verão.   

O Sistema Cantareira encerrou o primeiro semestre de 2018 já com o sinal amarelo, em "atenção", e agosto vai terminar com o índice do reservatório na casa dos 37%, segundo a Sabesp. No primeiro semestre de 2018, apenas janeiro registrou chuva acima da média no Sistema. Todos os outros meses foram de chuva abaixo ou no máximo perto da média, levando em conta dos dados da Sabesp. A pior situação foi em maio, quando choveu apenas 17,4% da média do mês.  Em agosto, a chuva voltou a superar a média do período. Segundo a Sabesp, choveu mais que o dobro este mês, cerca de 112% da média. O governo do estado de São Paulo pede para economizar água nos próximos meses, enquanto não ocorre a recuperação do Cantareira.

A volta dos mosquitos

Economizar água é uma boa providência, considerando o nível dos reservatórios para consumo humano. Claro que os paulistas sabem que a “seca” no estado é relativa, pois ainda assim chove bastante. Além de cuidar para não criar desabastecimento é bom lembrar de um efeito colateral – o aparecimento das febres como dengue, chicungunha e zika, resultado do aumento da proliferação do Aedes aegypti no período entre e a primavera e o verão. Como a água é uma dádiva dos céus, uma boa providência é estocá-la. Mas, é bom evitar os erros dos outros anos como armazenar água sem tampa. Todo ano, nesta época, parece que estas doenças transmissíveis pelo mosquito Aedes aegypti não são mais perigosas. Todo ano as pessoas se enganam.

Neste 2018 a situação é pior que no ano passado. Segundo relatório do Ministério da Saúde até a 11 de junho já foram registrados mais casos que em 2017 todo. Foram 12.162 casos de dengue este ano contra 5.047 em 2017 no estado de São Paulo. A chicungunha está empatando os 12 meses do ano passado com os primeiros 5 meses deste ano. Os casos de Zika já ultrapassaram os valores de 2017, em São Paulo foram 229 até maio, contra 199 em 12 meses no ano passado. Imagina o que vai acontecer quando chover, esquentar e os mosquitos se espalharem novamente! Por isso, o retorno normal da época de chuva traz o alerta. A economia de água não pode ser esquecida e principalmente, a estocagem deve ser com responsabilidade. Vale todas as recomendações, de fechar adequadamente a caixa d'água ou outros recipientes de armazenamento, eliminar focos de água parada em vasos, calhas e poças e não acumular lixo.  

Fonte: Agrolink
GALERIA DE FOTOS
Nenhuma imagem cadastrada.
 
OUTRAS NOTÍCIAS
07/04/2017